Atendimento
Atendimento ao cliente: +55 11 3405-7800
Área do Cliente
  Área do Cliente    
EMDOC
MENU
x Home Empresa Diferenciais Publicações Serviços Eventos Boletins Escritórios Fale Conosco

ELEMENTOS FUNDAMENTAIS PARA REALOCAÇÕES INTERNACIONAIS BEM SUCEDIDAS

por Nathalia Teixeira e Suzana Marques
  

Frente ao cenário atual internacional dinâmico e globalizado, e a consequente expansão das empresas para outros mercados, é possível observar o crescimento das atribuições internacionais e a necessidade de utilização de colaboradores internacionais ou expatriados para o gerenciamento das operações globais das empresas.

Assim, o processo de transferência de funcionários é uma prática comum em organizações multinacionais, buscando expandir para novos mercados, cobrindo mercados com escassez de mão-de-obra especializada, difundindo conhecimento técnico e aprimorando estratégias de negócios em locais onde essas empresas operam ou pretendem operar.


Em resumo, para trazer o sucesso e os resultados esperados nas transferências internacionais, algumas etapas são recomendadas:


1. Interação entre áreas estratégicas da empresa: essa interação tem o objetivo de alinhar e atualizar a medida de Retorno sobre o Investimento (ROI) relativa transferir processos, incluindo as prioridades da empresa e os resultados esperados - tanto para a empresa quanto para o funcionário.


2. Implementação de Políticas de Expatriação: é necessário elaborar criteriosamente políticas de expatriação, flexibilizando as tendências e conceitos e sendo rigoroso no cumprimento das mesmas, assegurando também condições atrativas para que o colaborador aceite o desafio da mudança.

As políticas devem incluir diretrizes de atribuição internacional, incluindo o tipo de designação, duração, remuneração e programa de benefícios, apoio durante o processo de mudança - por exemplo, custo de preparação de tarefas, custo de transporte de mercadorias domésticas, passagens aéreas, hospedagem, custos escolares e transporte. custo, enquanto no país, visitas ao país de origem e segurança -, aspectos regulatórios, assegurando o cumprimento das leis aplicáveis, e repatriação entre outros.

Sabe-se que os transferidos costumam se conectar uns aos outros, comparando seus benefícios para que as políticas de expatriação sejam muito claras e abrangentes, a fim de evitar desconforto para as equipes de Recursos Humanos.


3. Seleção de Candidatos: determinar o objetivo e as metas da tarefa internacional ajudará a orientar o processo de seleção de candidatos. Além disso, além das habilidades técnicas relacionadas ao trabalho, deve-se avaliar da mesma forma as habilidades de adaptação do profissional à cultura e ao estilo de vida do país de destino e suas interculturais habilidades, uma vez que estes são aspectos essenciais para o trabalho. sucesso da tarefa.

É muito comum ver profissionais com excelentes resultados em um país e maus resultados em outro, devido a questões culturais, que devem ser observadas e previstas ao selecionar esses candidatos.


4. Preparação e mudança: embora muitas empresas reconheçam a necessidade de uma preparação detalhada para a transferência, esta é, geralmente, associada ao funcionário, esquecendo todas as outras partes envolvidas na tarefa internacional: equipe, líderes e família.

A equipe deve ser informada sobre os planos para a introdução formal do novo expatriado para refletir a cultura local - isso pode exigir mais pesquisa e planejamento, bem como informações sobre a equipe de trabalho local. Várias estratégias devem ser consideradas caso o plano original para a equipe anterior ou nova não seja executado como planejado.

Os líderes devem ter acesso à história do expatriado na organização e devem estar diretamente em contato com o candidato, a fim de definir suas expectativas como líderes, bem como as expectativas dos transferidos. Além disso, as possibilidades de o candidato ter um mentor afetará diretamente seu aumento de produtividade, na orientação de sua carreira e no processo de repatriação.

Para a família, recomenda-se que todas as partes (RH, cessionário, família) participem de um treinamento intercultural e que preparem os processos relacionados à mudança do país de origem para o país anfitrião.

Uma maneira eficaz de minimizar os impactos, garantir procedimentos seguros e tornar o processo de realocação agradável - tanto para o funcionário quanto para a empresa - conta com a consultoria de parceiros especializados em atividades de hospedagem do estrangeiro, também denominados como empresas de serviços de realocação.
 

Alguns dos benefícios de contratar um serviço de consultoria especializada são:

• prepara mentalmente o indivíduo e sua família para a mudança;

• aumenta a autoconsciência e a compreensão intercultural;

• oferece a oportunidade de abordar questões e ansiedades importantes em um ambiente de apoio;

• reduz o nível de estresse e fornece estratégias para enfrentar uma situação desconhecida;

• facilita o processo de acomodação;

• reduz as taxas de falha nas atribuições;

• cumpre a legislação aplicável.

 

Entre alguns dos diferenciais oferecidos por consultorias de realocação, destacamos:

-         FORMAÇÃO INTERCULTURAL

-         RECEPÇÃO NO AEROPORTO

-         TOUR DE ORIENTAÇÃO

-         PESQUISA EM CASA

-         CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS RESIDENCIAIS

-         TÉRMINO DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO
 

Com a possibilidade de contar com todas essas facilidades, o funcionário transferido certamente pode concentrar sua energia no projeto para o qual foi designado, e a empresa terá seu investimento revertido em lucro, multiplicado por em grande escala.


5. Revisão de Desempenho: a falta de sucesso em uma transferência internacional pode ser extremamente cara para a organização. Portanto, uma avaliação consistente e detalhada do desempenho do expatriado funcionário, bem como uma avaliação da operação em geral, durante todo o trabalho, é essencial. É importante ressaltar que detalhes relacionados ao trabalho, país, cultura e outras variáveis ??devem ser considerados.


6. Repatriação: idealmente, o processo de repatriação deve ser contínuo e definido no início do processo de transferência, abordando os seguintes tópicos:

a) Planejamento de carreira;

b) Mentoria;

c) Comunicação Ativa;

d) Visitas ao país de origem;

e) Preparação para voltar para casa.

Atenta a esses estágios, é necessário do profissional de mobilidade global utilizar as ferramentas disponíveis e as melhores práticas do setor em mobilidade global, para oferecer soluções e alternativas buscando maximizar a experiência do expatriado, atendendo as necessidades do negócio e alcançando sucesso resulta na gestão de transferências internacionais.


IMIGRAÇÃO E CONFORMIDADE TRABALHISTA NA AMÉRICA LATINA E NO CARIBE

Recentemente, foi publicado um novo guia com o objetivo de fornecer informações práticas e relevantes sobre alguns dos países com maior fluxo de imigração trabalhista na região da América Latina e do Caribe. Instruções gerais locais, como cuidados a serem tomados, aplicação de vistos e permissões de viagem, conformidade com a imigração, entre outros tópicos, são apresentadas com o propósito de serem úteis e ajudarem nos processos de mobilidade global. Para ler este novo material, acesse o link: GUIA LATAM

VOLTAR
Fale ConoscoFALE CONOSCO
ATENDIMENTO AO CLIENTE Um canal aberto para sugestões, críticas e elogios.
E-mail: emdoc@emdoc.com - atendimento@emdoc.com
Tel.: +55 11 3405-7800
EMDOC - Mobilidade Superando Fronteiras R. Luis Coelho, 308 - Térreo
São Paulo / SP - Consolação - 01309-000
Tel.: +55 11 3405-7800
Fax: +55 11 3405-7868
ATENDIMENTO AO CLIENTE
Um canal aberto para sugestões, críticas e elogios.
E-mail: emdoc@emdoc.com - atendimento@emdoc.com
Tel.: +55 11 3405-7800

R. Luis Coelho, 308 - Térreo
São Paulo / SP - Consolação - 01309-000
Voltar para o topo